Prevenção de Acidentes Domésticos e de Lazer

Os acidentes e lesões em ambiente doméstico e de lazer, incluindo os que ocorrem em contexto escolar e em atividade física, constituem uma área de particular relevo à Saúde Pública. No âmbito do Programa Nacional de Prevenção de Acidentes e do Plano Estratégico do Ministério da Saúde para a Resposta Sazonal em Saúde, a Direção-Geral da Saúde (DGS) e o Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA), através do seu Departamento de Epidemiologia, elaboraram uma infografia onde divulgam dados sobre a temática e apresentam recomendações para prevenir a ocorrência destes acidentes.

 

De forma a prevenir as quedas em casa, as autoridades recomendam manter sempre uma boa iluminação, não deixar fios eletrónicos soltos pelo chão, colocar marcas visíveis nos degraus das escadas, garantir um piso antiderrapante, evitando tapetes soltos, verificar se as cómodas têm uma altura adequada, e, em caso de necessidade, instalar barras de apoio. Em contexto escolar, é recomendado garantir que as varandas e janelas têm grades ou redes de proteção, verificar se as escadas têm corrimão e são antiderrapantes, e não permitir que as crianças tenham acesso a objetos cortantes e pontiagudos.

 

Em 2022, nos meses de outono e inverno, foram observados 102.188 episódios de Acidentes Domésticos e de Lazer (ADL) com necessidade de utilização do serviço de urgência (SU), sendo que a ocorrência deste fenómeno foi visível tanto no sexo masculino como no sexo feminino, com idênticos valores percentuais, de acordo com o sistema EVITA – Epidemiologia e Vigilância dos Traumatismos e Acidentes, coordenado pelo Departamento de Epidemiologia do INSA.

 

Os acidentes registados ocorreram ao longo do ciclo de vida, sendo mais frequentes nos grupos etários considerados mais vulneráveis: pessoas com 65 e mais anos (32%) e na faixa etária entre os 0 e os 14 anos (27%). De entre os mecanismos de lesão que mais contribuíram para o número de ADL, as quedas (53%) foram a causa mais frequente. No que diz respeito à diversidade de produtos e, ou, objetos envolvidos na ocorrência de ADL destacaram-se as categorias relacionadas com a “Superfície do solo” (43,7%), “Animal, planta ou pessoa” (9,6%), “Equipamento para atividades desportivas/lazer” (8,9%) e “Mobiliário” (7,0%).

 

Criado em 2000 e coordenado pelo Departamento de Epidemiologia do INSA, o EVITA é um sistema de recolha e análise de dados sobre ADL que implicaram recurso às urgências de unidades de saúde do Serviço Nacional de Saúde. Desenvolvido em estreita colaboração com a Administração Central do Sistema de Saúde e com os Serviços Partilhados do Ministério da Saúde, o EVITA dá continuidade ao sistema ADELIA (Acidentes Domésticos e de Lazer – Informação Adequada).

 

Fonte: INSA

imagem do post do Prevenção de Acidentes Domésticos e de Lazer
Voltar