Relatório n.º 53 da Resposta Sazonal em Saúde – Vigilância e Monitorização

A Direção-Geral da Saúde (DGS) divulgou o Relatório n.º 53 – Resposta Sazonal em Saúde – Vigilância e Monitorização, relativo à semana 49/2023 (4 a 10 de dezembro). O documento integra informação de várias fontes e organismos além da DGS, como resultado de uma articulação intersetorial, nos quais se inclui o Instituto Nacional de Saúde Doutor Ricardo Jorge (INSA).

Os pontos do resumo desta semana são:

SITUAÇÃO EPIDEMIOLÓGICA

  • Na semana em análise (semana 49 de 2023), observou-se um aumento da temperatura do ar, encontrando-se acima do esperado para esta época do ano. Prevê-se uma subida da temperatura do ar na semana seguinte;
  • As coberturas vacinais contra a COVID-19 e contra a gripe, nos grupos etários com 60 ou mais anos, corresponderam a 50% e 60%, respetivamente;
  • No âmbito do Programa Nacional de Vigilância da Gripe, foi reportada atividade gripal com tendência crescente;
  • A notificação de casos de infeção por SARS-CoV-2 estabilizou. Desde a semana 37 de 2023 que a circulação da linhagem BA.2.86 tem aumentado, tornando-se dominante (52,2%) nas semanas 43 a 45 de 2023, ultrapassando a sublinhagem XBB;
  • Na UE/EEE, na semana 48 de 2023, a incidência de infeções respiratórias agudas na comunidade manteve o aumento, sobretudo devido a SARS-CoV-2. Manteve-se o aumento de deteções do vírus sincicial respiratório (VSR). A atividade da gripe sazonal permaneceu em níveis baixos, apesar da crescente intensidade e da propagação geográfica evidentes em alguns países;
  • Na semana em análise, a procura do SNS24 e do INEM aumentou. O número de atendimentos triados por febre, tosse, e por infeção respiratória aumentaram;
  • Observou-se uma diminuição das consultas médicas nos Cuidados de Saúde Primários do Serviço Nacional de Saúde. As proporções de consultas por infeções respiratórias agudas e por síndrome gripal aumentaram;
  • Observou-se um aumento dos episódios de urgência hospitalar, e uma estabilização da proporção destes episódios com destino o internamento. Manteve-se o aumento das proporções de episódios de urgência por infeções respiratórias agudas e por síndrome gripal;
  • O aumento dos atendimentos do SNS24, e de consultas e episódios de urgência por síndrome gripal foram muito superiores aos observados anteriormente, sugerindo o possível início da época epidémica de gripe sazonal, a acompanhar de perto nas próximas semanas;
  • Em Unidades de Cuidados Intensivos, a proporção de casos de gripe aumentou. Os internamentos em enfermaria por VSR em crianças com menos de 2 anos apresentaram uma tendência estável;
  • A mortalidade geral esteve dentro do esperado ao nível nacional. A mortalidade específica por COVID-19 exibiu uma tendência estável, abaixo do limiar do ECDC.

RECOMENDAÇÕES

  • A análise semanal sustenta a manutenção da vacinação contra a COVID-19 e contra a gripe;
  • Reforça-se a necessidade de utilização do SNS24 como primeiro ponto de contacto com o sistema de saúde;
  • Recomenda-se à população que adote medidas de proteção individual contra o frio: evitar a exposição prolongada ao frio e mudanças bruscas de temperatura; manter o corpo quente, utilizando várias camadas de roupa; proteger as extremidades do corpo (mãos e pés); manter-se hidratado; prestar atenção aos grupos mais vulneráveis (crianças nos primeiros anos de vida, doentes crónicos, pessoas idosas ou mais isoladas, trabalhadores com atividade no exterior e pessoas sem abrigo); acautelar a prática de atividades no exterior; seguir as recomendações do médico assistente, garantindo a toma adequada da medicação para doenças crónicas; adotar uma condução defensiva; verificar o estado de funcionamento dos equipamentos de aquecimento; manter a casa quente, e se utilizar braseiras ou lareiras, garantir uma adequada ventilação das habitações (renovação do ar); ter especial atenção aos aquecimentos com combustão (braseiras e lareiras), que podem causar intoxicação por monóxido de carbono e levar à morte; e desligar os dispositivos de aquecimento ao deitar. As recomendações podem ser consultadas aqui e aqui;
  • A atividade dos vírus respiratórios sustenta a comunicação da adoção de medidas de proteção individual contra as infeções respiratórias pela população, sobretudo com grupos vulneráveis. Mais informação disponível aqui;
  • As medidas para a comunidade e cidadãos, no âmbito da resposta sazonal em saúde, incluindo os centros de saúde abertos, avaliador de sintomas, marcação de consulta e teleconsulta, autodeclaração de doença, consultar receitas médicas e resultados de exames, e agendamento de vacinação estão disponíveis aqui.

Fonte: INSA

imagem do post do Relatório n.º 53 da Resposta Sazonal em Saúde – Vigilância e Monitorização
Voltar