16-08-2022

Assistência médica a ferido em incêndio na Guarda

A propósito de notícias vindas recentemente a público, relacionadas com a assistência médica prestada pelo INEM a um ferido no incêndio na Guarda, importa prestar os esclarecimentos que se seguem.


O Posto de Comando Operacional de Valhelhas, Guarda, recebeu informação sobre a existência de uma vítima do sexo masculino que apresentava falta de ar. Através do oficial de ligação do INEM, foi estabelecido contacto imediato com o Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) do INEM, tendo sido criada uma ocorrência às 21h12 e acionado um meio de socorro às 21h14, no caso, uma Ambulância INEM operada pelos BV Guarda.


Às 21h32, um Bombeiro dos BV Favaios contactou o CODU e informou que a vítima estaria em paragem cardiorrespiratória e a ser socorrida por uma equipa dos BV Cruz Branca.


Em função desta informação, o CODU contactou imediatamente os BV Cruz Branca, que informaram que a vítima apresentava dispneia por inalação de fumos, encontrando-se com os parâmetros vitais normais.


Pelas 21h41, a equipa dos BV Guarda, acionada pelo CODU, informou que a vítima se encontrava consciente e estável. O CODU validou os dados clínicos e informou que a vítima deveria ser transportada ao Hospital. Este transporte foi efetuado pelos BV Guarda.


Pelo exposto, não se confirma que tivesse sido transmitido ao CODU que a vítima se encontrava em paragem cardiorrespiratória, não existindo critério para acionamento de um meio de Suporte Avançado de Vida, como é o caso da Viatura Médica de Emergência e Reanimação (VMER).


A atuação do INEM foi a correta, tendo as decisões do CODU sido tomadas em função da avaliação realizada pelas equipas de socorro pré-hospitalar que assistiram a vítima no local.


A vítima teve alta poucas horas depois de admissão na Unidade Hospitalar.

imagem do post do Assistência médica a ferido em incêndio na Guarda
Voltar