11-11-2021

40 anos INEM | Ainda se recorda dos primeiros avisadores SOS?

Em fevereiro de 1975 foi implementada a primeira rede de avisadores SOS nas estradas portuguesas, inspirada no modelo ARSEC – 74P já em funcionamento em França.


A comunicação era simples: o contactante carregava no botão do avisador SOS e, num mapa que existia na Central de Emergência correspondente, acendia-se uma luz no quilómetro de estrada em que o utente se encontrava. Depois do alerta, a Central promovia o acionamento dos meios de socorro.


Para fazer face ao elevado número de mortes na estrada tornou-se necessário estabelecer um plano de socorro rodoviário (PSR) contra este inimigo: o acidente. O PSR traduziu-se na instalação de avisadores SOS que, em 1979, cobriam já uma extensão de 1.350 quilómetros de estrada, bem como a criação de Centrais de Emergência nas capitais de distrito, nomeadamente nos postos da Polícia de Segurança Pública (PSP) e da Guarda Nacional Republicana (GNR).


Nesse ano, Portugal contava já com 53 Centrais de Emergência que cobriam todo o território nacional. Ao Serviço Nacional de Ambulâncias (SNA), na figura dos seus operacionais de telecomunicações, coube a montagem dos avisadores SOS nas estradas e sua manutenção: mudança de baterias e de placas electrónicas, altifalantes ou microfones.


Este sistema vigorou em Portugal até princípios da década de 90, altura em que os postos de socorro passaram a ser responsabilidade da Junta Autónoma de Estradas.

imagem do post do 40 anos INEM | Ainda se recorda dos primeiros avisadores SOS?
Voltar