09-06-2021

COVID-19 | INEM realizou 2.408 transportes de casos suspeitos na primeira semana de junho

O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM), conjuntamente com os seus parceiros no Sistema Integrado de Emergência Médica (SIEM), realizou entre os dias 31 de maio e 6 de junho 2.408 transportes de utentes com suspeita de infeção com SARS-CoV-2. Nessa semana, as Equipas de Enfermagem de Intervenção Primária (EEIP) do INEM recolheram 689 amostras biológicas para análise à COVID-19.

 

A primeira semana de junho trouxe uma ligeira diminuição de casos suspeitos transportados pelos meios de emergência pré-hospitalar do SIEM, ou seja, menos 75 transportes que na semana anterior. Entre os dias 31 de maio e 6 de junho foram transportados 2.408 utentes com suspeita de infeção por SARS-CoV-2. Os meios afetos à Delegação Regional do Sul (DRS) transportaram 915 casos, seguindo-se os meios da Delegação Regional do Norte (DRN), com 889 utentes transportados. Na Delegação Regional do Centro (DRC) foram transportados 507 utentes e na Delegação Regional do Sul- Algarve, 97. De acordo com as normas em vigor, a definição de caso suspeito de COVID-19 é qualquer situação de falta de ar (dispneia) triada pelos Centros de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) do INEM.

 

As EEIP do INEM também registaram uma diminuição nas colheitas efetuadas. Na primeira semana de junho recolheram 689 amostras biológicas, menos 251 que na semana transata. Foi também a equipa da DRS que registou um maior volume trabalho, com 367 amostras recolhidas junto de utentes com suspeita de infeção pelo novo coronavírus. A equipa da DRN efetuou 172 colheitas, a da DRC 84 e a da DRS-Algarve 21. As EEIP do INEM foram criadas tendo como objetivos reduzir a disseminação da infeção por SARS-CoV-2, minimizar o risco de transmissão nosocomial de COVID-19 e promover a capacidade de resposta hospitalar para os cuidados de saúde essenciais e doentes críticos. Desde 10 de março de 2020, dia em que as EEIP iniciaram atividade, estas equipas já recolheram um total de 51.502 amostras biológicas para análise à COVID-19.

 

No que diz respeito à situação epidemiológica no seio Instituto, o INEM regista desde há algumas semanas a inexistência de trabalhadores com diagnóstico positivo, encontrando-se a 6 de junho um trabalhador em vigilância/isolamento profilático, menos um que na semana anterior.

 

Impedir o aumento dos novos casos de COVID-19 é, sobretudo, um trabalho individual. O distanciamento físico, o uso de máscara de proteção, a lavagem frequente e correta das mãos e a adoção de etiqueta respiratória continuam a ser fundamentais para evitar novas transmissões. Travar a COVID-19 depende de todos!

 

Se apresentar dificuldade respiratória, febre, tosse, alterações ou ausência no paladar e/ou olfato, ligue SNS24 – 808 24 24 24.

 

Em caso de emergência ligue 112.

 

Colabore com o INEM. Juntos podemos salvar vidas e travar a COVID-19.

imagem do post do COVID-19 | INEM realizou 2.408 transportes de casos suspeitos na primeira semana de junho
Voltar