Telessaúde é prioridade

Na abertura da quarta edição da conferência Portugal eHealth Summit, a Ministra da Saúde, Marta Temido, realçou que a telessaúde é uma prioridade da União Europeia (UE) e afirmou estar confiante que o debate neste encontro “possa contribuir para a avaliação da possibilidade da criação de um serviço transfronteiriço da telessaúde na UE”.


Para Marta Temido, a “UE da Saúde e a sua construção é sem dúvida uma das prioridades que tem vindo a sido prosseguida pela Presidência da UE do Conselho no âmbito da saúde e, nesse sentido, “a saúde digital é um pilar indispensável na concretização do plano”.


De acordo com a Ministra da Saúde “durante o último ano e por força da pandemia a telessaúde ganhou maior dimensão e importância, quer a nível europeu, quer a número nacional”. Por exemplo, no Serviço Nacional de Saúde, o número de consultas de telemedicina aumentou significativamente, “passando de cerca de 15 mil consultas para mais de 138 mil consultas”. “Este número mostra bem quanto esta trágica oportunidade fez pelo desenvolvimento da telessaúde”, observou.


Para Marta Temido, a aposta na telessaúde foi crucial para enfrentar melhor a pandemia, utilizando os recursos disponíveis, tecnológicos para “garantir as resposta alternativas rápidas e seguras à prestação de cuidados de saúde presencial”.


“O último ano demonstrou que a tecnologia possibilita a prestação de cuidados de saúde à distância com qualidade”, acrescentou a governante.


Este será um dos temas principais em discussão na conferência Portugal eHealth Summit, promovida pelo Ministério da Saúde, através da SPMS – Serviços Partilhados do Ministério da Saúde, a decorrer nos dias 1 e 2 de junho, em Lisboa.


Esta iniciativa enquadra-se nas prioridades da Presidência Portuguesa e junta diversos especialistas em torno da discussão sobre inovação e transformação digital em saúde.

imagem do post do Telessaúde é prioridade
Voltar