Projeto da DGS promove parentalidade cuidadora e envolvida

A Direção-Geral da Saúde (DGS) publicou um conjunto de documentos que visam estimular e dar ferramentas para o desenvolvimento de formas de paternidade mais envolvidas e cuidadoras, promovendo a equidade entre homens e mulheres, particularmente nos atos de cuidar das crianças.


Os documentos desenvolvidos pelo Núcleo sobre Género e Equidade em Saúde da Direção de Serviço de Prevenção da Doença e Promoção da Saúde da DGS visam modificar o paradigma nestes domínios e promover serviços de saúde amigos dos homens/pais, reforçando o seu papel enquanto co(protagonistas) nas consultas de planeamento familiar, na vigilância da gravidez, nas consultas de saúde infantil e nas tarefas relativas a cuidar das crianças.


Com este objetivo, foi lançado o projeto IMPEC (Iniciativa Mobilizadora da Paternidade Envolvida e Cuidadora) que visa fomentar a evolução da cultura institucional, tradicional ainda persistente em muitos serviços de saúde, adequando a logística e concretizando formas de resposta às necessidades dos homens/pais, de modo cada vez mais adequado, consistente e continuado.


Este projeto elenca diversas áreas de atividade que a nível dos cuidados primários e serviços hospitalares representam oportunidades de eleição para o apoio e promoção da parentalidade envolvida e cuidadora.


As unidades de saúde podem ser consideradas Entidades de Saúde IMPEC ao cumprir um conjunto de requisitos, como a divulgação de mensagens ajustadas, a adequação da logística existente ou a preparação dos profissionais de saúde. Em 2020, foi iniciado um projeto-piloto desta iniciativa, que envolveu o Agrupamento de Centros de Saúde de Lisboa Ocidental e Oeiras, que contou com a colaboração da Administração Regional de Saúde de Lisboa e Vale do Tejo.


Saiba mais no site da DGS.

imagem do post do Projeto da DGS promove parentalidade cuidadora e envolvida
Voltar