10-03-2021

COVID-19 | 2.260 transportes e 882 colheitas efetuadas na primeira semana de março

Na primeira semana de março, o Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) e os seus parceiros do Sistema Integrado de Emergência Médica (SIEM) realizaram 2.260 transportes de utentes com suspeita de infeção por SARS-CoV-2. Por outro lado, as Equipas de Enfermagem de Intervenção Primária (EEIP) contabilizaram a realização de 882 colheitas de amostras biológicas para análise à COVID-19.


De acordo com as normas em vigor, a definição de caso suspeito de COVID-19 é qualquer situação de falta de ar (dispneia) triada pelos Centros de Orientação de Doentes Urgentes do INEM. Desta forma, entre os dias 1 e 7 de março, 2.260 utentes com suspeita de infeção por SARS-CoV-2 foram transportados por meios de emergência pré-hospitalar para as unidades de saúde. A área geográfica referente à Delegação Regional do Sul (DRS) do INEM registou 919 transportes efetuados e, na Delegação Regional do Norte (DRN), foram transportados 789 utentes. Na Delegação Regional do Centro (DRC) registaram-se 456 transportes e na Delegação Regional do Sul – Algarve, 96. Desde março de 2020, foram transportados pelo INEM e seus parceiros 128.876 utentes.


Já as quatro EEIP do INEM realizaram 882 colheitas de amostras biológicas necessárias ao diagnóstico de COVID-19. Mais concretamente, a equipa da DRS realizou 749 colheitas, a equipa da DRN 79, a equipa da DRC 44 e a equipa da DRS-Algarve seis. Desde a sua criação, estas equipas efetivaram um total de 43.116 colheitas.


No que concerne ao impacto da COVID-19 no Instituto, a 7 de março o INEM não registava profissionais com diagnóstico positivo, uma situação que não se verificava desde meados de setembro de 2020. Dois trabalhadores do INEM encontravam-se, contudo, em isolamento profilático e/ou vigilância pela Comissão de Prevenção e Controlo de Infeção e Resistência aos Antimicrobianos (CPCIRA) do INEM.


Apesar dos números demonstrarem um abrandamento da situação pandémica em Portugal, importa mais do que nunca não descurar todas as medidas preconizadas pela Direção-Geral da Saúde (DGS) para o controlo da pandemia. O distanciamento físico, o uso de máscara de proteção, a lavagem frequente e correta das mãos e a adoção de etiqueta respiratória são fundamentais para controlar a pandemia.


Se apresentar dificuldade respiratória, febre, tosse, alterações ou ausência no paladar e/ou olfato, ligue SNS24 – 808 24 24 24.


Em caso de emergência ligue 112.
Colabore com o INEM. Juntos podemos salvar vidas e travar a COVID-19.

imagem do post do COVID-19 | 2.260 transportes e 882 colheitas efetuadas na primeira semana de março
Voltar