08-10-2020

COVID-19 | Atividade semanal: INEM transportou, de 28 de setembro a 4 de outubro, 2.296 casos suspeitos e recolheu 236 amostras para análise

O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) realizou 2.296 transportes de utentes com suspeita de infeção com o novo coronavírus entre os dias 28 de setembro e 4 de outubro. No mesmo período, foram efetuadas 236 recolhas de amostras biológicas para detetar infeção por SARS-CoV-2. Um trabalhador e um prestador de serviços continuam com COVID-19.

 

Na primeira semana de outubro, o INEM viu a sua atividade no âmbito da resposta à COVID-19 aumentar. Entre os dias 28 de setembro de 4 de outubro foram transportados 2.296 utentes com suspeita de infeção com SARS-CoV-2. Os meios afetos à Delegação Regional do Norte (DRN) transportaram 924 utentes e os afetos à Delegação Regional do Sul, 858. Os meios do INEM na região centro transportaram 407 casos suspeitos e os meios do Algarve 107 utentes. Recorda-se que a definição de caso suspeito de COVID-19 é, entre outros e de acordo com as normas em vigor¸ qualquer situação de falta de ar (dispneia) triada pelos Centros de Orientação de Doentes Urgentes (CODU). Desde o dia 1 de março que os meios do INEM já transportaram mais de 50 mil casos suspeitos (51.297) às diversas unidades de saúde.

 

As quatro equipas de recolha de amostras biológicas que o INEM criou para auxiliar na resposta à pandemia efetuaram, no mesmo período, 236 recolhas biológicas, por meio de zaragatoas nas fossas nasais. A atividade destas equipas, uma por cada Delegação Regional do INEM, surge como complemento às equipas de recolha de colheitas das entidades de saúde locais e trabalham sob pedido, com carater urgente, das autoridades de saúde ao INEM. Estas equipas entraram em atividade a 10 de março e desde essa data já efetuaram 24.708 colheitas de material biológico para análise.

 

A 4 de outubro, um trabalhador do INEM e um prestador de serviços continuavam infetados com SARS-CoV-2. O número de trabalhadores e prestadores de serviço que se encontram sob vigilância da Comissão de Controlo de Infeção e Resistência aos Antimicrobianos (CCIRA) do INEM diminuiu para 18, sendo que apenas oito destes se encontram em isolamento profilático.

 

A resposta do INEM à pandemia de COVID-19 estendeu-se além-fronteiras. Uma missão do INEM, sob a égide da Organização Mundial de Saúde (OMS), esteve presente em maio em São Tomé e Príncipe onde ajudou a estruturar a resposta daquele país à COVID-19. Esse apoio ainda se mantém com reuniões por videoconferência, três vezes por semana, com as autoridades de saúde São-tomenses e OMS.

 

Com a atividade pandémica em crescendo, reforça-se que este é um combate coletivo. Todos teremos que fazer a parte que nos compete individualmente. Cumprir com as recomendações da Direção-Geral da Saúde é essencial para garantir que as cadeias de transmissão do vírus se quebram.

 

Distanciamento físico. Uso de máscara. Lavagem e desinfeção das mãos. Adoção de etiqueta respiratória. São gestos essenciais que ajudam ao esforço de toda a sociedade.

 

 

Se tiver febre, tosse ou dificuldade respiratória ligue SNS24 – 808 24 24 24. Em caso de emergência ligue 112!

Colabore com o INEM. Juntos, podemos salvar vidas!

imagem do post do COVID-19 | Atividade semanal: INEM transportou, de 28 de setembro a 4 de outubro, 2.296 casos suspeitos e recolheu 236 amostras para análise
Voltar