16-07-2020

COVID-19: atividade semanal

O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) realizou, na segunda semana de julho, 1.946 transportes de casos suspeitos de COVID-19. Na mesma semana, as equipas do INEM realizaram 869 colheitas de material biológico para análise ao SARS-CoV-2.

 

Entre os dias 5 e 12 de julho, o INEM transportou 1.946 utentes com sinais e sintomas compatíveis com COVID-19, mais 249 transportes que na semana anterior. Desde o dia 1 de março já foram transportados pelo INEM 26.506 utentes com suspeita de infeção por SARS-CoV-2. Recordamos que a definição de caso suspeito de COVID-19 é, entre outros e de acordo com as normas em vigor¸ qualquer situação de falta de ar (dispneia) triada pelos Centros de Orientação de Doentes Urgentes (CODU).

 

No que concerne às equipas de colheitas de material biológico para análise à COVID-19, as mesmas efetuaram entre os dias 5 e 12 de julho, 869 recolhas. Este número corresponde a menos 554 colheitas em relação às primeira semana de julho. As equipas afetas à Delegação Regional do Sul foram as que efetuaram mais recolhas, totalizando na passada semana 863 colheitas. Desde o dia 10 de março que as equipas de recolha de amostras do INEM efetuaram um total de 22.179 colheitas. Estas equipas são constituídas por dois enfermeiros(as) que efetuam a recolha de material biológico no local onde se encontram os utentes, reduzindo as deslocações e, consequentemente, a possibilidade de novos contágios. Trabalham em colaboração com as Autoridades de Saúde e são ativadas através da Sala de Situação Nacional do INEM, que se encontra a trabalhar desde o inicio de março e a acompanhar e coordenar a atividade do INEM na resposta à COVID-19.

 

O INEM continua sem registo de qualquer trabalhador infetado com SARS-CoV-2, encontrando-se dois trabalhadores em isolamento profilático, menos dois que na semana anterior. Oito trabalhadores do INEM encontram-se sob vigilância dos serviços da Comissão de Controlo de Infeção e Resistência aos Antimicrobianos do INEM.

 

Para fazer face à COVID-19, o Gabinete de Sistemas e Tecnologias de Informação (GSTI) do INEM criou condições para que diversas funções no INEM fosse realizadas remotamente, através de teletrabalho. A 12 de julho, dez profissionais do CODU mantém-se a trabalhar remotamente, entre eles quatro Médicos Reguladores, cinco Técnicos de Emergência Pré-hospitalar (TEPH) e um Psicólogo do Centro de Apoio Psicológico e Intervenção em Crise (CAPIC). Estes números representam 4% da capacidade instalada pelo GSTI para trabalho remoto no CODU.

 

Estes dados demonstram que a COVID-19 mantém-se presente no quotidiano da atividade do INEM. Assim, torna-se fundamental a colaboração de todos para travar esta pandemia.

Lavagem regular das mãos, Distanciamento Físico, Etiqueta Respiratória e Uso de Máscara são medidas essenciais para controlar a COVID-19.

 

Colabore e siga as recomendações da Direção-Geral da Saúde.

Em caso de emergência, ligue 112.

imagem do post do COVID-19: atividade semanal
Voltar