13-02-2020

INEM forma operacionais para integrar PT EMT

O Instituto Nacional de Emergência Médica (INEM) realizou em Faro e Portimão, nos passados dias 10, 11 e 12 de fevereiro, um Curso para Operacionais do Portuguese Emergency Medical Team (PT EMT). Esta formação foi a segunda parte de um curso que visa formar os profissionais para integrar uma missão sob a égide das Nações Unidas ou do Mecanismo Europeu de Proteção Civil em caso de Catástrofes ou Acidentes Graves.

 

Em contexto nacional e internacional, a resposta do INEM exige a capacidade de projeção nos teatros de operações, no menor espaço de tempo possível, de equipas de emergência médica, equipamentos e material de consumo clínico, que visem permitir a estabilização do doente critico e o seu transporte para as unidades de saúde adequadas em situações de maior envergadura e complexidade, nas quais possa, eventualmente, existir supressão das infraestruturas da Saúde.

 

A formação agora realizada compreendeu a parte prática do curso e simulou a ativação da equipa do INEM para um sismo de grande magnitude no Nepal. Os profissionais mobilizados pelo INEM para esta formação tiveram de cumprir com todos os procedimentos, de forma simulada, que teriam de ter tido caso de uma situação real se tratasse. Foi simulado, em colaboração com as estruturas aeroportuárias do Aeroporto de Faro e Serviços de Estrangeiros e Fronteiras (SEF), o processo de embarque e desembarque num aeroporto.

 

De seguida, toda a estrutura do PT EMT foi montada, permitindo à equipa praticar diversas situações que podem ocorrer numa situação real, desde incêndios na estrutura do INEM e, como é óbvio, casos simulados de assistência a feridos de diversas gravidade. A equipa esteve envolvida nesta simulação 24 horas por dia, durante três dias, fazendo toda a sua atividade diária dentro do perímetro do PT EMT.

 

Esta formação permitiu aos profissionais envolvidos ter a noção do que é atuar numa situação de catástrofe real, permitindo simular quais as limitações que podem ocorrer numa zona afetada por um incidente de grande magnitude e o impacto que isso pode ter nas decisões clínicas que têm de tomar na assistência aos feridos.

 

Estiveram envolvidos neste formação Médicos, Enfermeiros, Técnicos de Emergência Pré-hospitalar (TEPH), Psicólogos, profissionais de Logística do INEM e militares da Guarda Nacional Republicana (GNR). Toda a formação foi supervisionada por profissionais credenciados e com experiência de atuação em cenários de catástrofe noutros países.

 

O módulo de emergência médica e profissionais do INEM encontram-se certificado desde 2019 como PT EMT Tipo 1 Móvel e Tipo 1 Fixo, junto da Organização Mundial de Saúde (OMS), pretendendo dar uma resposta rápida e eficaz a situações de acidente grave e/ou catástrofe em contexto nacional ou internacional. O PT EMT tem a capacidade de responder a um elevado número de vítimas, garantindo a triagem, a estabilização inicial, a referenciação para as unidades de saúde adequadas e o tratamento definitivo de algumas situações médicas e traumáticas de menor gravidade.

 

Para fazer face à garantia dos padrões de qualidade no atendimento clínico, também em contextos de exceção tais como Acidentes Graves ou Catástrofes, foi lançado pela Organização Mundial de Saúde (OMS) um mecanismo de classificação de Módulos de Emergência Médica dos diversos países, estratificando-os por tipo de Emergency Medical Teams (EMT). Este é um processo de qualidade gerido pela OMS e que resulta na atribuição da classificação como Emergency Medical Team, garantindo assim o cumprimento dos padrões e princípios mínimos para projeção nacional e internacional na resposta a Catástrofes.

imagem do post do INEM forma operacionais para integrar PT EMT
Voltar