Risco de exposição aos raios UV

Portugal com risco «muito elevado» de exposição. Proteja-se!

 

Todos os distritos de Portugal continental, com exceção dos do litoral norte, e os arquipélagos dos Açores e da Madeira apresentam hoje um risco muito elevado de exposição à radiação ultravioleta (UV).

 

Os distritos que escapam ao risco muito elevado são os de Viana do Castelo, Braga, Porto e Aveiro, onde há, contudo, um risco elevado na exposição ao sol, de acordo com as previsões do Instituto Português do Mar e da Atmosfera (IPMA).

 

Para sexta-feira, a estimativa é que o risco suba para extremo nos distritos de Castelo Branco, Guarda e Castelo Branco e que desagrave para baixo no grupo ocidental dos Açores.

 

O índice ultravioleta varia entre 1 e 2, em que o risco de exposição à radiação UV é baixo, 3 a 5 (moderado), 6 a 7 (elevado), 8 a 10 (muito elevado) e superior a 11 (extremo).

 

O cálculo é feito com base nos valores observados às 13 horas em cada dia relativamente à temperatura do ar, humidade relativa, velocidade do vento e quantidade de precipitação nas últimas 24 horas.

 

A radiação ultravioleta pode causar graves prejuízos para a saúde, se o nível exceder os limites de segurança. O índice desta radiação apresenta cinco níveis, entre o «baixo» e o «extremo», sendo o máximo o 11. Assim:

  • Quando o índice é considerado «alto», entre 6 e 7, é aconselhável utilizar óculos de sol com filtro UV, chapéu, t-shirt e protetor solar;
  • Em regiões com índice de radiação «muito alto», entre 8 e 10, recomenda-se a utilização de óculos de sol com proteção UV, chapéu, t-shirt, guarda-sol, protetor solar e evitar a exposição das crianças ao Sol;
  • Quando o índice é igual ou superior a 11, as recomendações vão no sentido de evitar o mais possível a exposição ao sol e aproveitar para descansar em casa.

 

Para saber mais, consulte a página do Instituto Português do Mar e da Atmosfera

 

Fonte: SNS

imagem do post do Risco de exposição aos raios UV
Voltar