Áreas de Atuação

As áreas de atuação do CAPIC são amplas e compreendem, entre outras, as seguintes funções:

 

Teleassistência: intervêm com os contactantes do CODU em situações de crises psicológicas, comportamentos suicidas, vítimas de abusos/violência física ou sexual, entre outros.

 

Unidade Móvel de Intervenção Psicológica de Emergência (UMIPE): acionados pelo CODU para o local das ocorrências onde seja considerada necessária a sua intervenção, como é o caso da assistência a vítimas de sinistros ou a seus familiares e amigos, apoio na gestão destas ocorrências, nomeadamente, o apoio no início do processo de luto na sequência de morte inesperada e/ou traumática, situações de risco iminente de suicídio, emergências psiquiátricas que impliquem risco de vida para o próprio ou para outros e intervenção com vítimas de abuso/violação sexual.

As UMIPE são ainda integradas nos dispositivos de resposta do INEM a situações de exceção, nomeadamente, incêndios, inundações, explosões, catástrofes naturais e humanas, entre outras.

 

Apoio aos profissionais do INEM: visam a intervenção psicológica com as equipas de emergência em situações emocionalmente exigentes e potencialmente traumáticas.

 

Formação aos profissionais do INEM: participam na formação dos profissionais de emergência na à área das competências psicológicas.

 

Estágios curriculares e de observação: recebem estudantes e profissionais de Psicologia, bem como de outras áreas da saúde, com interesse na intervenção em crise psicológica, que adquirem conhecimentos teóricos e práticos.

 

Investigação Científica nas áreas de intervenção em crise psicológica, stress nos profissionais de emergência médica pré-hospitalar, coping, papel do psicólogo no Sistema Integrado de Emergência Médica (SIEM).

 

 

Intervenção no CODU

 

O serviço é assegurado pelos psicólogos do CAPIC no CODU, e está disponível através do Número Europeu de Emergência 112.

 

Atualmente existe um posto CAPIC, que poderá estar ativo num dos CODU, e a partir do qual é dada resposta a nível Nacional. As chamadas são transferidas ao psicólogo de serviço na sequência da proposta de resposta do fluxo de triagem, ou sempre que o Técnico de Emergência Pré-Hospitalar (TEPH) identifique a necessidade de comunicar uma ocorrência ao psicólogo, nomeadamente nas seguintes situações:

 

  • Tentativas e Risco de Suicídio;
  • Episódios Depressivos com agravamento
  • Crises de Ansiedade e Ataque de Pânico;
  • Crises Psicóticas ou Episódios Dissociativos;
  • Aconselhamento na Notificação de Morte;
  • Violência Doméstica/ Violação/ Abuso Sexual;
  • Emergências Psiquiátricas;
  • Apoio e Aconselhamento aos profissionais no local da ocorrência;
  • Outras Situações de Choque Emocional.

 

 

Intervenção das UMIPE

 

As UMIPE estão sediadas nas Delegações Regionais do Norte (Porto), Centro (Coimbra) e Sul (Lisboa e Faro). Estas unidades são constituídas por um Psicólogo e por um TEPH e deslocam-se ao local da ocorrência após a ativação via CODU.

 

A ativação da UMIPE pode resultar da proposta do fluxo de triagem ou por decisão do Médico Regulador, numa fase inicial, em contextos que antecipadamente se preveem de elevada exigência emocional, ou na sequência da passagem de dados e solicitação das equipas no local.

 

Está preconizado o acionamento das UMIPE em situações que envolvam eventos potencialmente traumáticos, nomeadamente:

 

  • Acidentes de Viação;
  • Outros Acidentes (p. ex.: acidentes de trabalho, afogamentos, incêndios urbanos, etc.);
  • Incidentes com número elevado de vítimas e/ou socorro previsivelmente demorado;
  • Emergências Psiquiátricas;
  • Situações graves que envolvam crianças;
  • Violação/ Abuso Sexual;
  • Violência Interpessoal;
  • Paragem Cardiorrespiratória inesperada;
  • Morte Inesperada e/ou Traumática;
  • Situações de Exceção/ Multivítimas.
Voltar