Alerta Pessoas em Risco

banner_alerta pessoas em risco

Medida SIMPLEX + Saúde 2016/2017

 

Descrição da medida:
Implementação, na aplicação de registo clínico dos meios de emergência médica, de uma sinalização de cidadãos em situação de risco.

 

Prazo de Implementação:
Medida iniciada em outubro de 2016 e concluída em maio de 2017.
Após conclusão da Medida têm sido implementadas novas iniciativas para expansão desta medida, nomeadamente para garantir o eficaz encaminhamento das situações referenciadas pelos operacionais do INEM.

 

Enquadramento
As situações de pobreza e exclusão social devem ser, o mais precocemente, detetadas e sinalizadas, tendo em conta os efeitos secundários ou colaterais que daí podem advir. Estas situações foram agravadas devido à conjuntura social vivenciada nos últimos anos e aumentam ainda, devido a diversos fatores como o geográfico/territorial (urbano/rural), habitacional ou o desemprego.

 

Para além disso, o envelhecimento da população, o aumento das comorbilidades, os esquemas terapêuticos cada vez mais complexos, e ainda, o isolamento social e geográfico, num contexto socioeconómico desfavorável, contribuem para a enorme procura de serviços clínicos, constituindo um grande desafio para os profissionais de saúde.

 

Foi neste contexto que o INEM, enquanto prestador de cuidados de saúde de proximidade com as comunidades, se posicionou como executor de uma das Medidas SIMPLEX + Saúde (Medida 34), procurando contribuir para o alargamento da base de dados que referencia ou sinaliza esses cidadãos(ãs).

 

Com esta iniciativa, o INEM teve por objetivo facilitar o apoio à proteção social, através da comunicação da perceção de sintomas ou sinais indicadores das situações suprarreferidas.

 

Primeira fase do Projeto, no âmbito da Medida Simplex:
Para a implementação desta medida, numa primeira fase (em outubro de 2016), foi criada na aplicação de registo clínico eletrónico dos meios de emergência médica, à data o Icare – Integrated Clinical Ambulance Record, uma funcionalidade para sinalização destes casos, que veio possibilitar a identificação de situações de risco que se perceciona ou observa aquando da intervenção dos meios INEM.

 

Referir que a aplicação de Registo Clínico Eletrónico Icare foi atualizada para uma nova versão o, ITEAMS- INEM TOOL for EMERGENCY ALERT MEDICAL SYSTEM, que entrou em funcionamento em janeiro de 2019, e que, atualmente, está implementada em todos os meios de emergência Médica do INEM (com exceção ainda, das Ambulâncias de Socorro sedeadas em Corpos de Bombeiros e Delegações da CVP).

 

iTeams

 

 

Considerou-se, nesta primeira fase, as seguintes tipologias:

  • Não adesão terapêutica ou aparente inadequação terapêutica
  • Isolamento social
  • Necessidade de cuidados de saúde domiciliários
  • Insalubridade

 

Assim, através desta referenciação de cidadãos(ãs) em situação de risco, passou a ser possível a identificação de situações de maior prevalência no encaminhamento para as Unidades de Saúde e com maior possibilidade de integração na referenciação desta tipologia de situações.

 

Monitorização da atividade desenvolvida na primeira fase

 

monitorização

 

Segunda fase do Projeto, novas iniciativas para expansão da Medida (Projeto piloto)

 

Na sequência da implementação da primeira fase, e após análise dos casos sinalizados, por um período de três meses, procedeu-se à identificação das medidas subsequentes necessárias à extensão deste Projeto. Desde logo surgiu a necessidade de garantir o encaminhamento de cidadãos(ãs) sinalizados, enquanto situação de risco, para as entidades competentes, assegurando, assim, não apenas a deteção, mas também que o problema possa ser devidamente acompanhado.

 

No âmbito desta colaboração, o INEM configura-se como um facilitador de apoio e proteção social aos cidadãos(ãs) em situação de risco e promove sinergias interinstitucionais, maximizando os recursos existentes.

 

Assim, para melhoria da sinalização de situações em risco e após avaliação desta atividade, em julho de 2017, o INEM deu inicio à implementação de Projeto Piloto, numa primeira fase na Região Norte, na Ambulância de Suporte Imediato de Vida (SIV) de Gondomar, com o objetivo de identificar outras instituições/entidades para encaminhamento das situações sinalizada e garantir o encaminhamento dos(as) cidadãos(ãs) para as entidades competentes na respetiva matéria, na área de atuação do meio INEM.

 

Esta informação, gravada na base de dados clínica do INEM, foi enviada via email durante o projeto piloto na ambulância SIV de Gondomar, para os profissionais do correspondente Agrupamentos de Centros de Saúde (ACES), responsável pelo acompanhamento dos utentes sinalizados. Sendo da responsabilidade dos mesmos um relatório com a descrição do encaminhamento da situação.

 

Durante este projeto foram identificadas as instituições/entidades que deverão ser notificadas para acompanhamento das situações, designadamente Guarda Nacional Republicana (GNR), Segurança Social, Misericórdias, Administração Regional de Saúde (ARS) e a Associação Portuguesa de Apoio à Vítima (APAV), com quem o INEM estabeleceu um protocolo de colaboração com vista à regulação da colaboração no âmbito da temática das vítimas de violência doméstica e de crime, nomeadamente de criminalidade violenta.

 

A colaboração com estas entidades, permitirá uma maior facilidade em assegurar apoio e proteção social aos cidadãos(ãs) em situação de risco.

 

Fases futuras do Projeto: completar o ciclo de aplicação da informação com medidas concretas perante a identificação da situação:

  • Extensão a nível nacional
  • Avaliação da inclusão de outras situações passíveis de referenciação
  • Estabelecer contactos com parceiros/entidades, e definir um protocolo de colaboração/atuação para garantir o eficaz encaminhamento das situações referenciadas pelos operacionais do INEM, otimizando as dificuldades encontradas no acompanhamento
  • Promover auditoria aos resultados
Voltar