Cidadãos vão gerir os seus dados médicos

Saúde | Dados na UE

 

A Comissão Europeia apresentou, no dia 25 de abril, um conjunto de medidas para aumentar a disponibilidade de dados na União Europeia (EU), com base em anteriores iniciativas, para dinamizar a livre circulação de dados não pessoais no Mercado Único Digital.

 

No âmbito da saúde, as medidas passam por garantir o acesso dos cidadãos aos seus dados de saúde, introduzindo-se ainda a possibilidade de partilhar esses dados além-fronteiras. De acordo com a Comissão, a proposta abrange também a interoperabilidade dos registos de saúde eletrónicos, bem como um mecanismo de coordenação voluntária da partilha de dados, incluindo dados relativos ao genoma, para fins de prevenção de doenças e investigação.

 

Na ocasião, o Comissário responsável pela Saúde e pela Segurança Alimentar, Vytenis Andriukaitis, declarou que «as propostas exploram plenamente o potencial das tecnologias digitais para melhorar os cuidados de saúde e a investigação médica. Tal conduzirá a um acesso mais fácil aos dados relativos à saúde, o que se traduzirá numa melhor prevenção das doenças e a cuidados centrados no doente, a respostas rápidas às ameaças de pandemias e a melhores tratamentos.»

 

As propostas apresentadas baseiam-se no Regulamento Geral sobre a Proteção de Dados, que entrará em vigor a 25 de maio de 2018.

 

A meta da Comissão Europeia é colocar o espaço comunitário na vanguarda da inteligência Artificial, assegurando que ela é posta ao serviço dos cidadãos.

 

Para saber mais, consulte: Comissão Europeia > Comunicado de imprensa

 

Fonte: SNS

imagem do post do Cidadãos vão gerir os seus dados médicos
Voltar