12-10-2017

O porquê de tantas perguntas quando ligo para o INEM?

Numa situação de emergência, quem detetou uma ocorrência em que há risco para a saúde, liga para o 112, o “Número Europeu de Emergência”. Após contacto com a Polícia de Segurança Pública, a chamada é encaminhada para o Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU) do INEM.

 

Os profissionais do CODU vão proceder à triagem da situação com perguntas que são muito importantes para a atuação do INEM. A triagem telefónica tem por objetivo determinar qual o tipo de resposta de emergência e o meio de emergência mais adequado para dar a cada alerta que recebem.

 

Após receber a chamada transferida pela Central 112, o INEM inicia um processo de localização, triagem e aconselhamento da ocorrência. Esta triagem é feita com base nas questões colocadas ao contactante e permite identificar se a situação é urgente ou emergente.
Através dos dados recolhidos no diálogo com o contactante, e recorrendo às aplicações informáticas disponíveis no Centro de Orientação de Doentes Urgentes (CODU), o INEM consegue avaliar se a situação coloca a vítima em risco de vida e decide se deve enviar um meio de emergência e qual o mais apropriado.

 

Numa situação de urgência, a vítima pode ter necessidade de ser observada numa unidade hospitalar para receber o tratamento adequado, mas não corre risco de vida imediato. Nestes casos, a chamada é transferida para o Centro de Contacto SNS24, serviço do Ministério da Saúde constituído por profissionais qualificados e preparados para aconselhar os doentes sobre a melhor forma de melhorar o seu estado de saúde.
Esta Linha pode aconselhar a deslocação do doente a uma unidade de saúde, sendo dadas alternativas ao contactante para que seja efetuado um outro tipo de transporte, serviço esse garantido por entidades como Corporações de Bombeiros, Cruz Vermelha Portuguesa ou empresas privadas que se dedicam ao transporte de doentes.

 

Já numa situação emergente, a vítima apresenta sinais e sintomas que indicam estar-se perante uma situação de risco de vida imediato, sendo necessário atuar no local e durante o transporte até uma unidade de saúde adequada para o seu tratamento eficaz.

 

Para uma assistência mais eficaz o INEM aconselha os contactantes a:

•Manter a calma;
•Responder de forma clara e concisa a todas as perguntas colocadas;
•Não falar ao mesmo tempo que o técnico do INEM pois prejudicam a triagem;
•Não desligar o telefone sem indicação do profissional;
•Lembrar-se que a otimização da resposta da emergência depende da triagem telefónica do pedido de socorro.

 

Os CODU do INEM funcionam de acordo com um protocolo de triagem validado pela Ordem dos Médicos, que indica as questões que devem ser colocadas a quem pede ajuda ao INEM. O funcionamento dos CODU é assegurado, 24 horas por dia, por equipas de profissionais qualificados – médicos, técnicos e psicólogos – que efetuam o atendimento, a triagem, o aconselhamento, a seleção e o envio de meios de emergência.

 

Os profissionais do INEM trabalham para o ajudar, sendo por isso muito importante a colaboração de quem liga para o 112.

 

A sua colaboração é fundamental: faculte toda a informação que lhe for solicitada, para permitir um rápido e eficaz socorro às vítimas. Os conselhos que aqui lhe deixamos são essenciais para atuar em caso de emergência.

 

 

A emergência médica começa em si. Colabore com o INEM. Juntos, podemos salvar vidas!

imagem do post do O porquê de tantas perguntas quando ligo para o INEM?
Voltar